Justiças Militares avançam rumo à implantação do Processo Judicial Eletrônico

23/07/2012 14h00 - Atualizado em 23/07/12 14h00

pjeUm caminho sem volta. Essa é a percepção sobre o processo eletrônico daqueles que participaram do encontro das Justiças Militares, no Rio Grande do Sul, nos últimos dias 19 e 20, para delinear diretrizes, ajustar fluxos no sistema digital de controle processual, denominado Processo Judicial Eletrônico, ou PJe. Na oportunidade, ficou estabelecida como meta a implantação de um projeto piloto do processo judicial eletrônico até o final do ano de 2012.

De acordo com juiz cooperador junto à 1ª AJME de Minas Gerais, André de Mourão Motta, a implementação do processo virtual é um desafio dos novos tempos do Poder Judiciário. “Acredito, sinceramente, que esta etapa constituirá numa das mais significativas inovações na prestação jurisdicional, sendo uma profunda mudança de paradigma para todos os operadores do direito. Foi uma experiência muito produtiva para mim ter contribuído para a nova era da Justiça.”, disse ele.

Segundo o Gerente Judiciário do Tribunal de Justiça Militar de Minas Gerais, Eli Alvarenga, “sem dúvida, o PJe representa uma mudança de paradigma e traz muitos desafios”. Ainda, ressaltou que o encontro das Justiças Militares estaduais de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul teve como trunfo a troca de experiência entre magistrados e servidores, o que certamente contribuiu para a construção de fluxos dos ritos processuais cíveis e criminais.

O Gerente de Informática do TJMMG, Giovani Viana, pontuou que a padronização dos fluxos dos ritos processuais é um grande avanço para as Justiças Militares Estaduais. “As modificações estão sendo feitas através de uma ferramenta de criação de fluxos integrada ao PJe. O fruto desse trabalho será importado pelo CNJ, diretamente para o sistema definitivo. “

Um novo encontro das equipes está previsto para início de agosto de 2012, na sede do CNJ, em Brasília.

 

23/07/2012

 

Ascom – TJMMG