TJMMG distribui fitinhas para engajar corpo funcional ao Fevereiro Roxo e Laranja

22/02/2024 08h39 - Atualizado em 22/02/24 08h39

O mês de fevereiro é dedicado à prevenção e ao combate de quatro doenças, representadas por duas cores. O roxo está relacionado à conscientização sobre lúpus, fibromialgia e Alzheimer. A cor laranja alerta sobre um dos tipos mais graves de câncer, a leucemia, e incentiva a doação de medula óssea. A junção das duas cores forma o Fevereiro Roxo e Laranja, campanha que busca sensibilizar a população brasileira sobre essas doenças, seus sintomas e consequências, e o Tribunal de Justiça Militar do Estado de Minas Gerais (TJMMG) distribuiu a magistrados e corpo funcional fitinhas alusivas ao tema, para provocar o engajamento de servidores e colaboradores às causas defendidas na ação.

Muitas vezes, a convivência com uma dessas doenças torna-se parte da vida. Está, por exemplo, na rotina da servidora Kely Cristina Barbosa Machado, agente judiciária que atua no setor de Manutenção Predial e Obras, e cuja mãe é portadora de Alzheimer há 20 anos, atualmente em estágio avançado. “É uma doença muito agressiva no sentido da rapidez do avanço e muito difícil de lidar, porque a pessoa está envelhecendo e não sabe quem ela é ou quem são as pessoas que estão perto dela”, relata.

Nesse cenário, Kely ressalta a importância do apoio familiar, tanto de forma prática, na busca pelo acompanhamento médico adequado, quanto de amparo emocional. “Todas essas doenças requerem dos familiares a aceitação e a busca pelo apoio de profissionais, porque só o grau de parentesco é insuficiente para cuidar de uma pessoa doente. Se a família não se envolver com a doença e tentar buscar ajuda, não consegue assumir o processo da doença. Todos ficam emocionalmente muito fragilizados, é muito delicado”, afirma.

Desmistificar as doenças, encará-las de frente e buscar informação e acompanhamento adequados são passos importantes para quebrar tabus e trazer mais qualidade de vida para doentes e familiares. Nesse sentido, a colaboradora terceirizada Sheila Tamem de Oliveira Rodrigues, que também recebeu a fitinha, fala da importância da campanha para aumentar a conscientização.

“Acho o máximo essas campanhas que o Tribunal faz todo mês, pois muitas pessoas têm alguma doença e sofrem constrangidas de falar sobre. Então essa ação do Tribunal é excelente, porque as pessoas divulgam mais, participam e engajam. Realmente, acho muito importante”, enfatiza.

Kely e Sheila têm razão. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), 6,7 mil pessoas morreram em virtude de leucemia no Brasil em 2020. Já um levantamento do Ministério da Saúde aponta que, em 2022, dois milhões de pessoas viviam com alguma forma de demência no país. Os números reforçam a importância da ação do Fevereiro Roxo e Laranja, que tem como objetivo promover o amplo acesso à informação e quebrar estigmas sobre questões que, na maioria das vezes, podem ser curadas ou controladas com um diagnóstico precoce.

No âmbito do TJMMG, a adesão à campanha é uma iniciativa da Comissão Gestora do Plano de Logística Sustentável (CGPLS) e do Comitê Gestor Local de Atenção Integral à Saúde de Magistrados e Servidores da Justiça Militar de Minas Gerais.

Texto: Ana Luísa Ribeiro, com informações do portal Gov.br e Ministério de Saúde
Edição: Esperança Barros
Ascom/TJMMG