TJMMG oferece curso sobre mediação de conflitos e práticas restaurativas no ambiente laboral

19/01/2024 18h03 - Atualizado em 19/01/24 18h03

Tem início na segunda-feira, 22, o curso de Mediação de Conflitos e Práticas Restaurativas no Contexto Laboral, disponibilizado pela Escola Judicial Militar do Tribunal de Justiça Militar do Estado de Minas Gerais (EJM/TJMMG). Com carga horária de 20 horas, o curso ocorre no auditório do Tribunal até o dia 26, das 8h às 12h e tem como objetivo aplicar ferramentas de prevenção e resolução de conflitos no ambiente laboral.

O curso será ministrado pelas psicólogas Terezinha de Oliveira Lima Rocha e Júnia Penido Monteiro. Entre os pontos abordados por elas estão análises sobre cultura de paz e métodos de solução de conflitos; moderna teoria do conflito; gestão de relações no contexto laboral; aspectos da comunicação assertiva e Comunicação Não Violenta; negociação integrativa; Justiça e práticas restaurativas; perfil do facilitador e princípios éticos da mediação de conflitos; etapas e técnicas da mediação de conflitos; e mediação na prática.

Pós-graduada em Violência Doméstica pela Universidade de São Paulo (USP), Terezinha de Oliveira Lima Rocha é mediadora de conflitos titulada pelo Instituto de Mediação e Arbitragem do Brasil (Imab) e instrutora em Conciliação e Mediação Judicial (CNJ). Ela também já atuou como Psicóloga Judicial e Mediadora Judicial no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Júnia Penido Monteiro é técnica judiciária no TJMG, lotada no Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), ainda atua como mediadora, instrutora e formadora de instrutores em Conciliação e Mediação Judicial (CNJ). Ela é pós-graduada em Psicologia do Trabalho pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Gestão de Negócios em Organizações Públicas pela Fundação Dom Cabral (FDC) e Mediação de Conflitos e Arbitragem, pela Faculdade Unyleya.

O curso tem vagas limitadas com prioridade para gestores e membros da Comissão de Prevenção e Enfrentamento do Assédio Moral e do Assédio Sexual do TJMMG, e as vagas remanescentes serão destinadas servidores em geral. Informações adicionais podem ser obtidas diretamente com a EJM.

Texto: Ana Luísa Ribeiro
Edição: Esperança Barros
Ascom/TJMMG